(21) 3352-3665


Ouça pelo nosso aplicativo

AMIR HADDAD E MAURÍCIO TIZUMBA SÃO HOMENAGEADOS NA QUINTA MOSTRA TEATRO TIRADENTES EM CENA, DE 19 A 27 DE MAIO, EM TIRADENTES, MINAS GERAIS

20 MAI 2017
20 de Maio de 2017
Festival celebra a diversidade abordando a tolerância. Veja a programação completa no final desta publicação.

No ano em que a Mostra de Teatro Tiradentes em Cena celebra a diversidade promovendo um festival que terá a tolerância como tema, nada mais apropriado que homenagear duas grandes figuras do cenário teatral nacional que sempre andaram na contramão dos modismos: Amir Haddad e Maurício Tizumba. Criador do Teatro Oficina e do grupo de teatro Tá na Rua, Amir será agraciado com uma exposição que ficará fixa durante todo o evento no Sesi - Centro Cultural Yves Alves e no última dia apresentará a palestra “O Teatro Vivo de Amir Haddad”. Já o instrumentista, cantor, compositor, ator, empreendedor cultural e maior representante da cultura afro-mineira, Maurício Tizumba, além da homenagem fará uma apresentação ao lado do grupo Tambor Mineiro, criado por ele em 2002 durante uma oficina.

Durante nove dias, a cidade de Tiradentes receberá mais de 20 espetáculos, além de exposições, oficinas e a realização de rodas de conversas com convidados da área cultural, uma parceria inédita entre a mostra e o Sesc Minas. Um panorama amplo e diversificado das artes cênicas no país.

Ao abordar a temática da tolerância, e consequentemente da diversidade, a mostra trará à cena as questões de identidade de gênero e orientação sexual, temas que têm despertado a curiosidade do público e muito discutido atualmente no país. 

- A diversidade, a tolerância, a diferença, são questões que dão margem para inúmeras discussões, sejam sexuais, religiosas, sexistas ou de raça. Fizemos uma curadoria que abrangesse ao máximo os temas e que gerasse uma reflexão no público. Acredito que esta seja uma das funções da arte – Conta a idealizadora do Tiradentes em Cena, Aline Garcia.

A curadoria do quinto Tiradentes em Cena teve muito cuidado ao escolher os dois homenageados deste ano. Isso porque, ao optarmos pelo tema Tolerância, sabíamos que nossos agraciados teriam de ser referências, não só em resistência, mas, também, que carregassem na alma o entusiasmo perene de, através da arte, transfigurar nossa cruel e triste realidade, despojados de preconceitos, moldes ou julgamentos. 

No longo caminho percorrido, de todos os artistas que pensamos, chegamos à difícil conclusão de que essas duas pessoas preenchem, naturalmente, esses quesitos – o diretor e teatrólogo Amir Haddad e o cantor, compositor, instrumentista e ator Maurício Tizumba.

Amir Haddad é uma ilustre e respeitável referência, e influencia, há décadas, gerações e mais gerações de atores e diretores. Além de encantar espectadores por onde passa nessa longa e importante trajetória, é um dos grandes e imprescindíveis responsáveis pela evolução do teatro no país.

Maurício Tizumba há mais de 45 anos luta para democratizar a arte, para que a cultura atinja todas as classes e grupos sociais. Há mais de uma década regendo o grupo de percussionistas Tambor Mineiro, uma de suas missões, através do Congado Mineiro, é resgatar a memória e a identidade de nosso povo.


Thammy Miranda estreia peça em Tiradentes

Thammy Miranda, conhecida do grande público por assumir sua nova identidade de gênero, fará a estreia nacional do espetáculo T.R.A.N.S – Terapia de Relacionamentos Amorosos Neuróticos Sexuais no dia 26 de maio. Na peça, Thammy atua ao lado da namorada Andressa Ferreira e do ator Carlos Verahnnay, também autor e diretor da montagem. Outro espetáculo que aborda a questão de gênero e certamente causará reações adversas no público é o bem criticado “Lady Christiny”, escrito e atuado por Alexandre Lino, com direção de Maria Maya. A peça conta a história de uma travesti, casada com uma mulher, pai de dois filhos e com um pensamento altamente reacionário. O empoderamento feminino e a luta das mulheres por igualdade social também não poderiam ficar fora da mostra. O coletivo Os Conectores, de Belo Horizonte, leva para Tiradentes o premiado espetáculo Rosa Choque, em que aborda a questão da violência contra a mulher e propõe ao público outro ponto de vista.

A intolerância religiosa e a imigração de povos são retratadas com muito bom humor no bem criticado espetáculo Brimas, escrito e encenado pelas atrizes Simone Kallil e Beth Zalcman e direção de Luiz Antonio Rocha. Através das histórias reais de suas avós, as atrizes contam a peregrinação de quem deixou seus países de origem – Egito e Líbano – e foram acolhidas no Brasil no início do século passado. A peça se apresenta no Sobrado Aymorés, no dia 20 de maio.

O público amante da dança será impactado pela Cia. Fusion de Danças Urbanas, de Belo Horizonte, que apresentará o espetáculo “Quando Efé”, uma mistura de hip hop com cultura mineira. Já o público infantil também tem voz dentro do festival. A criançada se divertirá com o musical Superultramegafluu, encenado pela atriz e cantora Érika Machado, o infantil A Lenda do Vale da Lua, além de cortejos pelas belas ruas históricas e oficina de birutas com o grupo de São João Del Rei Café com Birutas.

À exemplo do ano passado, o Festival de Cenas Curtas – uma parceria entre a Mostra e a Rococó Produções – ocupará novamente o Theatro Municipal de São João Del Rei onde serão apresentadas dez cenas de grupos de todo o país. Os vencedores se apresentarão em Tiradentes, no dia 27 de Maio. 

Além dos espetáculos citados acima, o público terá uma extensa programação apresentada gratuitamente nos mais variados espaços tendo a bela cidade como cenário natural. Uma experiência que vale a pena ser vivenciada. 

A realização do evento ganhou força graças à solidificação das parcerias com empresas locais, apoiadores e patrocinadores, bem como a colaboração dos atores e produtores envolvidos que participam do evento. O Festival é realizado com os benefícios da Lei Estadual de Incentivo à Cultura de Minas Gerais e conta com o patrocínio da Cemig.



Programação Tiradentes em Cena 2017

19 de maio - sexta-feira

16h - Roda de Conversa: Teatro Negro: Representatividade e Resistência

Local: SESI Tiradentes Centro Cultural Yves Alves

Participantes da Mesa: 

- Mauricio Tizumba (instrumentista, cantor, compositor, ator e empreendedor cultural brasileiro com carreira artística estabelecida desde 1973). Um dos mais populares artistas de Minas Gerais é um dos criadores da Companhia Burlantins, um grupo teatral de rua marcado pela musicalidade e em atividade desde 1996, e do Tambor Mineiro, grupo de percussão com influência do congado, ambos culturalmente expressivos.

- Mestre Prego (Capitão do Congado Nossa Senhora do Rosário e Escrava Anastácia)

- Sérvulo Matias (diretor e ator do grupo local de teatro Entre&Vista)

- Adilson Siqueira (Professor do Curso de Teatro da Universidade Federal de São Joao Del Rei)

Sinopse: A Roda de Conversa irá refletir e discutir a presença do negro em diferentes segmentos. Neste encontro, os participantes serão convidados a refletir sobre a influência da cultura negra na sociedade brasileira. Ao longo da história, o país incorporou conhecimentos técnicos, costumes, expressões artísticas e muitas outras contribuições que fazem parte da formação da identidade nacional.

Parceria Cultural: Sesc

Duração: 60 minutos

Classificação: livre

Mediação: Maria Carolina Fescina Silva (Gerência de Cultura - Departamento Regional Minas Gerais do Sesc)


17h - Exposição “O circo etéreo de Amir Haddad” 

Local: SESI Tiradentes Centro Cultural Yves Alves

A exposição “O circo etéreo de Amir Haddad” é uma preservação da memória do ator e diretor que testemunhou os últimos sessenta anos do teatro brasileiro, dirigindo várias gerações de atores desde Jaime Costa, Elza Gomes, Fernanda Montenegro, Sérgio Britto a Renata Sorrah, Pedro Cardoso e Andreia Beltrão, dentre muitos outros. O público entrará em contato com este mago do teatro através de fotos de alguns dos mais de trezentos espetáculos que Amir Haddad dirigiu, de vídeos-depoimentos de atores, cartazes, objetos, figurinos e adereços que fazem parte da trajetória do teatrólogo. Esta homenagem é antes de tudo um brinde à vida, ao teatro e ao Amir que faz parte da primeira geração de diretores brasileiros junto com Augusto Boal, Antônio Abujamra, Flávio Rangel, Antunes Filho e José Celso Martinez Corrêa. 

Duração: 90 minutos

Classificação: livre

20h – Abertura do evento


21h -  Tizumba e Tambor Mineiro (Belo Horizonte – Minas Gerais) 

Local: Largo das Forras 

Mauricio Tizumba em seus trinta e oito anos carreira fez um percurso de grande relevância para arte afro-brasileira, uma vez que, em toda sua história musical, Tizumba traz consigo o congado mineiro. Sua trajetória marca também a luta e a conquista de ampliar o acesso à cultura em Minas Gerais, democratizando a arte a todas as classes e grupos sociais. Seus trabalhos sempre buscaram as ruas, praças e povo, com o objetivo claro de sensibilização para a arte, para a cultura negra, e cultura em geral. Cantando em todas as cores, tamanhos e regiões. Com o objetivo de dar maior visibilidade e abrangência à cultura afro-mineira, Mauricio Tizumba, um dos mais completos artistas apresenta com o “Tambor Mineiro”. No repertório, músicas de Tizumba e de outros expoentes da música mineira, canções da música popular brasileira e ritmos afro-brasileiros. 

Elenco: Mauricio Tizumba e Tambor Mineiro 

Duração: 90 minutos

Classificação: livre


20 de maio - sábado

10h30 – Cortejo com café com birutas (São Joao Del Rei - MG)

Local: Inicia Maria Fumaça, passa pelo Lar de Idosos e encerra em frente a Igreja do Rosário. 

Sinopse: Em parceria com o grupo Maracatu Raízes da Terra, o Coletivo Café com Birutas realiza a ação artística "Cortejo Biruta", que percorre as ruas da cidade envolvendo os transeuntes em muitas cores, músicas e brincadeiras. As birutas são brinquedos de papel semelhantes às karpas japonesas que ao serem erguidas dançam e ocupam o céu. A manipulação das birutas durante o cortejo possibilita aos participantes brincarem e experimentarem o movimento que as birutas propõem ao corpo e ao espaço.

Elenco: Maracatu Raízes da Terra e Coletivo Café com Birutas


16h – Érika Machado – Superultramegafluuu (Belo Horizonte – Minas Gerais) 

Local: SESI Tiradentes Centro Cultural Yves Alves 

Sinopse: Em um cenário dominado pelos monstros mais divertidos Erika Machado merece destaque. Sem subestimar o ouvinte infantil, ela faz de Superultramegafluuu um registro de rara qualidade para a criançada. A aposta de Érika é no equilíbrio entre exagero e simplicidade: de um lado, personagens coloridíssimos abarrotam encarte e letras; do outro, produção musical simples e cristalina, a cargo do conterrâneo John Ulhoa, do Pato Fu. Completa o time o guitarrista Daniel Saavedra. Essa ambição é bem expressa nas composições. Sobre bases eletrônicas elegantes, ela conversa com seu público de igual para igual sobre o tempo (O Relógio) e o amor (O Melhor da Vida e Com Você), subverte contos de fadas (O Lobo É Legal) e testa os limites da imaginação (Elefante Amarelo). 

Elenco: Érika Machado (voz, guitarra e violão); Daniel Saavedra (guitarra, violão, teclado e vocais) e Filipa Bastos (identidade visual)

Duração: 50 minutos

Classificação: livre 


19h – Brimas (Rio de Janeiro - RJ)

Local: Sobrado Aimorés  

Duas senhoras imigrantes, Ester e Marion, revivem, com muito humor, suas histórias, enquanto cozinham quibes para um velório. O riso, a saudade da família e as memórias do passado se misturam nessa história cheia de emoção e sabedoria. Com cumplicidade entre as atrizes e suas personagens, Brimas traz um tema atual: imigração. Através das histórias reais de suas avós, Beth e Simone trazem ao palco Ester e Marion. Ambas saíram jovens de seus países de origem, Egito e Líbano, respectivamente, foram acolhidas no Brasil no início do século passado. Para a autora e atriz Beth Zalcman, falar de sua avó é falar de identidade construída pelo afeto, pelo cheiro e sabores da comida, pelos gestos, pela voz, pelas histórias vividas e sentidas. Brimas é falar da possibilidade de encontros, de paz, independente de crenças, nesse momento contemporâneo de tanta intolerância. 

Texto e atuação: Beth Zalcman e Simone Kalil

Direção: Luiz Antônio Rocha

Duração: 70 minutos

Classificação: 10 anos


22h – Gilbert Salles convida Luciano e a sua Ciranda Orgânica 

Participação: Janelas para Mulheres Grupo Artes Nomades

Local: Praça Largo das Forras 

Sinopse: Um encontro inovador da arte, sons, ritmos, corpos e saberes populares, sobretudo das culturas de matriz africana e indígena, que busca inclusão e integração de todos os presentes através da ciranda de roda, um círculo que anda, gira, dança e canta as tradições de nosso povo, numa grande rede, produzindo a transformação e o renascimento, do coco, do maracatu, do frevo, do afrobeat e da música do mundo. O show terá participação de um espetáculo de rua lúdico que converge teatro, música e artes plásticas para tratar a valorização da mulher mineira e das riquezas culturais da região. É o resultado de um intercâmbio com artistas franceses que possuem uma técnica única na construção de marionetes gigantes articulas. As personagens D.Totonha, Maria e Nina abordam o lugar ocupado pela mulher na sociedade retratando o cotidiano e a intenção de três gerações de uma mesma família (avó, mãe e filha). 

Elenco show: Gilbert Salles (voz e violão), Luciano Ciranda (voz e percussão), Gustavo (percussão) Machinha (sanfona) e Jadson (percussão) 

Direção artística do Grupo Artes Nomades: Raquel Meneses

Duração: 90 minutos

Classificação: livre


21 de maio - domingo

11h – Oficina de Birutas com Café com birutas (São João Del Rei– MG)

Local: Largo das Mercês 

Sinopse: Cada participante irá construir sua Biruta com criatividade e personalidade. As birutas são brinquedos de papel semelhantes as karpas japonesas que ao serem erguidas dançam e ocupam o céu. A manipulação das birutas possibilita aos participantes brincarem e experimentarem o movimento que as birutas propõem ao corpo e ao espaço.

Realização: Café com Birutas 

Duração: 60 minutos

Classificação: Livre


14h – Roda de conversa: A importância de festivais de teatro na descentralização das artes cênicas.

Local: Museu da Liturgia

Sinopse: Mais do que reunir espetáculos de sucesso, qual a real função de um festival de teatro para as artes cênicas fora dos grandes centros? A troca de experiência, a geração de empregos e a possiblidade de experimentar novas linguagens e espaços são apenas alguns temas que levantaremos em uma roda de conversa com a participação de diversos agentes culturais. Com Maria Siman  produtora da Primeira Página e diretora da Associação de Produtores de Teatro do Rio de Janeiro / João Carlos Rabello – idealizador do Festival Internacional de Teatro de Angra (FITA) / Tatyana Rubim – Diretora da Rubim Produções (Belo Horizonte) / Juliano Felisatti – diretor do Teatro da Pedra (São João Del Rei) / Barroso / Casa da Torta /  Márcia – São João Del Rei / Rogerinho gestor do Museu da Liturgia


16h – A lenda do Vale da Lua (Rio de Janeiro – RJ)

Local: Alto do São Francisco 

Sinopse: Conta a história do Boi Bumbá, a partir de uma brincadeira entre os irmãos Lúcia e Carlos e seus pais. Brincando de contar histórias, a família leva o público a soltar a imaginação. Sugerindo a interação entre a plateia e os atores, onde todos têm espaço para inventar e contribuir, mostrando que os sonhos e a criatividade não têm limites.

Texto e Direção: João das Neves 

Músicas: Chico César Direção Musical: Beto Lemos

Elenco: Carol Gomes, Clara Santhana, João Lucas Romero, Julie Wein, Luiz Claudio Gomes, Vicente Coelho  

Duração: 60 minutos 

Classificação: livre 


19h – A Paixão Segundo Shakespeare (Belo Horizonte – MG)

Local: SESI Tiradentes Centro Cultural Yves Alves 

Sinopse: Hamlet, Othelo, Romeu e Julieta, Julio César, Macbeth e o Mercador de Veneza, são os textos que compõem um painel da obra de Shakespeare. Alternando drama, ironia e bom humor, esta montagem traça um painel do ser humano através de suas paixões. Contundente, emocionante, bela e poética, esta montagem reúne alguns dos melhores atores de Belo Horizonte sob a direção de Pedro Paulo Cava.

Autor: Jota Dângelo

Direção: Pedro Paulo Cava

Elenco: Andréia Garavelo, Ana Cândida, Fabiane Aguiar, Maria Cecília Mansur, Geraldo Peninha, Gustavo Marquezini, Jefferson de Medeiros, José Maria Amorim, Luciano Luppi e Marcelo do Vale.

Duração: 95 minutos

Classificação: 12 anos


21h30min– O Papagaio (Rio de Janeiro – RJ) 

Local: Sobrado Aimorés 

Sinopse: Cantor lírico aposentado tem como único amigo o papagaio da vizinha. Um dia o papagaio foge. Uma nova janela se abre na vida do cantor. Num momento em que múltiplas vozes se fazem ouvir, nas ruas e mídias sociais, Marcello Picchi, comemorando 50 anos de carreira, discorre sobre uma voz frequentemente ignorada, a voz da terceira idade.

Texto e direção: Thiago Picchi

Elenco: Marcelo Picchi

Duração: 50 minutos

Classificação: 14 anos


23 de maio - terça-feira

19h – Abertura oficial da exposição 25 anos do Grupo Oficina de Teatro Entre&Vista com Seresta e Poesia - Tiradentes (MG)

Local: Sobrado Quatro Cantos

Sinopse: Para comemorar os 25 anos da Oficina de Teatro Entre & Vista foi criado uma seresta, poética com músicas de cantores mineiros e recital com autores de Tiradentes e região. O Entre&Vista já encenou mais de 35 peças, miais de 130 apresentações, além de dezenas de saraus poéticos, serestas, cortejos, danças, recitais, circo-teatro, oficinas. A presença do grupo nas ruas e espaços da cidade é reconhecida como um dado cultural comunitário, como um valor autêntico da população da cidade. Ganhou prêmios por isso. Por mérito transformou-se em Ponto de Cultura. Um elemento forte na vida comunitária de Tiradentes.

Elenco: Grupo Entre&Vista e convidados

Duração: 60 minutos

Classificação: livre


25 de maio - quinta-feira

19h – Rosa Choque com roda de debate após espetáculo (Belo Horizonte – BH)

Local: SESI Tiradentes Centro Cultural Alves

Mediação: Maria Carolina Fescina Silva (Gerência de Cultura - Departamento Regional Minas Gerais do Sesc)

Sinopse: Apesar dos avanços relacionados à igualdade de gênero, o número de crimes cometidos contra mulheres continua crescendo. A abordagem feita pelo espetáculo “Rosa Choque” se deu a partir de notícias divulgadas na imprensa e nas redes sociais, demonstrando os frequentes abusos sofridos pelas mulheres. Além disso, a vivência dos próprios atores sobre o assunto também contribuíram para essa proposta.

Direção: Cida Falabella

Elenco: Cris Moreira e Guilherme Théo

Realização: Coletivo “Os Conectores”.

Duração: 55 minutos

Classificação: 16 anos

Parceria Cultural: Sesc


21h30 – Plástico Bolha: quando a ausência é a única presença (Juiz de Fora – JF)

Local: Aimorés 

Sinopse: O que te faz falta nesse mundo? O terceiro espetáculo do Corpo Coletivo, grupo de Juiz de Fora/MG, traz para a cena a discussão sobre as ausências do cotidiano. Coisas, pessoas, memórias, sentimentos que desaparecem de nossas vidas e - percebidos ou não - transformam a realidade.  Com direção de Hussan Fadel, a discussão gira em torno da fragilidade da existência, do sentimento de pertencimento ao mundo e da constante necessidade de adaptação. O texto é fruto de uma parceria entre a companhia e o jornalista Mauro Morais. Partindo do trabalho em grupo e da experimentação coletiva, o espetáculo flerta com a dança-teatro e performance. 

Direção: Hussan Fadel

Elenco: Vinícius Cristóvão e Carú Rezende

Duração: 55 minutos

Classificação: 16 anos


26 de maio - sexta-feira

10h, 14h e 15h30 – "Estórias de Piratas" (Passos – Minas Gerais) 

Local: Escola Marilia de Dirceu, Escola Alice Lima, Padre Lourival de Salvo Rios e Várzea e Associação de Bairro da Torre

Sinopse: Três piratas estão à procura do tesouro: o baú do barba azul! Histórias são contadas ao abrir o baú, que contém, nada a mais, nada a menos que, o maior tesouro do mundo: a vida! O espetáculo contação tem inserções de marionetes, circo, música, cena e estórias.  

Direção: Maurílio Romão

Elenco: Matheus Piotto, Dalber Rodrigues e Emanuel Arcanjo (Trupe Ventania)

Duração: 35 minutos

Classificação: livre 


18h às 22h – Festival de Cenas Curtas 

Local: Teatro Municipal de São João Del Rei

Sinopse: Esse ano teremos a segunda edição do festival de cenas curtas. Além de receberem prêmio em dinheiro, as três melhores cenas entram na programação do dia 27 em Tiradentes.

Organização: Tiradentes em Cena e Rococó Produções 

Parceria: Prefeitura Municipal de São João Del Rei e Secretaria Municipal de Cultura de São João Del Rei


19h – T.R.A.N.S - Terapia de Relacionamentos Amorosos Neuróticos Sexuais (estreia) – Rio de Janeiro (RJ)

Local: SESI Tiradentes Centro Cultural Yves Alves

Sinopse: "T.R.A.N.S. - Terapia de Relacionamentos Amorosos Neuróticos Sexuais" reúne humor, sexo, filosofia e assuntos atuais numa trama envolvente, retratando a história do casal Rafael e Jéssica, que vê sua crise no relacionamento se acentuar com a chegada do filósofo Gustavo, trazendo muitos segredos consigo.

Texto e direção: Carlos Verahnnay

Elenco: Thammy Miranda, Andressa Ferreira e Carlos Verahnnay

Duração: 75 minutos 

Classificação: 16 anos


22h – Lady Christiny – Rio de Janeiro – RJ 

Local: Aimorés

Sinopse: Nesse projeto, os diálogos entre os dois assumem a ampliação de duas realidades. Na peça, Alexandre Lino conta a trajetória de um homem que se travestiu, mas manteve o conservadorismo, o respeito e uma postura atípica junto à família. A peça mistura realidade, ficção e cinema. Segundo a autora e o diretor, isso se chama Teatro do Pertencimento, que é onde esses itens se encontram e se misturam rompendo a dramaturgia convencional e propondo ao espectador a provocação pelo discurso. Durante o espetáculo, o público será estimulado a fazer perguntas ao ator.

Direção: Maria Maya 

Elenco: Alexandre Lino

Duração: 50 minutos

Classificação: 16 anos


27 de maio - sábado

10h – Torta e Mosca Morta (São Joao Del Rei – MG)

Local: Chafariz

Sinopse: Torta e Mosca Morta são dois piratas destemidos e um pouco atrapalhados que cruzam os sete mares (até os que já viraram montanha) em busca do tesouro perdido. Eles tem mapas, dicas, advinhas, brincadeiras, desafios e muita coragem para, junto com todos os marujos que cruzam seus caminhos, encontrarem o tesouro perdido. Venha para essa aventura e descubra que se perder é achar lugares que não se acham, senão todos saberiam onde fica. Quem comanda a farra é a atriz e produtora cultural, Benvinda Dangelo, atriz formada pelo Teatro Universitário da UFMG. Atuou em diversos espetáculos de palco e rua, além de rádio e tv. Acredita que o riso é a menor distância entre as pessoas, porque rindo juntos os batimentos cardíacos são os mesmos e o ator Gustavo de Sousa formado pelo Teatro Universitário da UFMG. Atua no Grupo Oficcina Multimédia/ BH.

Elenco: Benvinda Dangelo e Gustavo de Sousa

Duração: 120 minutos

Classificação: livre


11h – Oficina danças urbanas com a Cia Fusion (Belo Horizonte – BH)

Local: Bairro Mococa

Sinopse: As danças urbanas são constituídas de diversas vertentes bastante diferentes umas das outras. Ainda que muitas vezes se refira às danças urbanas como um gênero específico de dança, na verdade, trata-se de um grande eixo dividido em diversos subgêneros, tais como o Breaking, o Locking, o Popping, o Hip Hop Dance, o House Dance e o Voguing (entre muitos outros). Esta oficina busca trabalhar duas diferentes abordagens das danças urbanas, o House Dance e o Hip Hop Dance, introduzindo aos alunos seus fundamentos e suas variadas possibilidades expressivas.


14h – Roda de Conversa: Teatro e Cultura Trans 

Local: Sobrado Quatro Cantos

Sinopse: Estamos vivendo numa sociedade constantemente em transição. As diferenças sexuais e as questões de gênero estão na pauta do dia, na politica, nas ruas, na televisão e por que não também no teatro.  Com Alexandre Lino (ator da peça Lady Christiny) / Carol Braga (diretora da Culturadoria) / Thammy Miranda (ator da peça T.R.A.N.S) / Vinícius de Carvalho (mestrando em educação)


15h – Festival Cenas Curtas

Local: Aimorés 

As três cenas vencedoras da primeira edição do Festival Cenas Curtas se apresentam para o público da mostra. 

Organização: Tiradentes em Cena e Rococó Produções 

Parceria: Prefeitura Municipal de São João Del Rei e Secretaria Municipal de Cultura de São João Del Rei


17h – Roda de conversa: O circo etéreo de Amir Haddad

Local: Jardim SESI Tiradentes Centro Cultural Yves Alves

Sinopse: A exposição "O circo etéreo de Amir Haddad" é uma preservação da memória do ator e diretor que testemunhou os últimos sessenta anos do teatro brasileiro, dirigindo várias gerações de atores desde Jaime Costa, Elza Gomes, Fernanda Montenegro, Sérgio Britto a Renata Sorrah, Pedro Cardoso e Andreia Beltrão, dentre muitos outros. Em 1980 abdicou do chamado "Teatro convencional" para fundar o Grupo "Tá Na Rua" se tornando o patrono do teatro de rua no Brasil, símbolo de resistência e pioneirismo? das artes públicas. A plateia entrará em contato com este mago do teatro através de fotos de alguns dos mais de trezentos espetáculos que Amir Haddad dirigiu, de vídeos-depoimentos de atores, cartazes, objetos, figurinos e adereços que fazem parte da trajetória do teatrólogo. Esta homenagem é antes de tudo um brinde à vida, ao teatro e ao Amir que faz parte da primeira geração de diretores brasileiros junto com Augusto Boal, Antônio Abujamra, Flávio Rangel, Antunes Filho e José Celso Martinez Corrêa. 

Com Amir Haddah

Duração: 90 minutos

Classificação: livre


19h – Casa de Boneca (Rio de Janeiro – RJ) 

Local: SESI Tiradentes Centro Cultural Yves Alves

Sinopse: Tiradentes recebe o premiado espetáculo Casa de Bonecas, de  Henrik Ibsen considerado o dramaturgo mais importante da Noruega, com versão de Daniel Veronese. Numa releitura contemporânea o autor questionou as convenções sociais do casamento e do papel da mulher na sociedade, provocando um choque no contexto social e comportamental do final do século XIX. Na época, mediante as tentativas de emancipação feminina, foi uma peça revolucionária, com grande repercussão entre feministas o que causou grandes discussões em toda Europa. Houve censuras violentas lançadas contra a personagem principal, Nora, pois a época não perdoou seu abandono da casa e dos filhos.

Texto: Henrik Ibsen

Versão original: Daniel Veronese

Direção: Roberto Bomtempo e Symone Strobel

Elenco: Miriam Freeland, Roberto Bomtempo, Anna Sant’Ana, Regina Sampaio, Leandro Baumgratz

Duração: 75 minutos

Classificação: 14 anos


22h –Quando efé – Belo Horizonte (MG)

Local: Praça Largo das Forras 

Sinopse: Quando efé utiliza as Danças Urbanas para associar cultura mineira, aspectos de nossa tradição, à cultura hip hop. Transcendendo, porém, a tematização da cultura mineira, a obra propõe uma reflexão sobre identidade, tradição, inovação, memória cultural e transculturalidade, numa discussão universal sobre valores inerentes ao ser humano.

Direção: Leandro Belilo

Elenco de bailarinos: Augusto Rodrigues, Jefferson Siqueira, Jonatas Pitucho, Leandro Belilo, Silvia Kamylla, Wallison Culu e Walmor Calado (Cia Fusion)

Duração: 55 minutos

Classificação: livre



contador de visitas para site
Voltar

A Rádio que toca Cultura

Desenvolvido: Agência Bicuda   ZYU 204   Bicuda FM 98,7 MHz - Rio de Janeiro - Brasil - CNPJ: 02.763.172/0001-42    Insc. Municipal: 0468710-8

Rio de Janeiro - Brasil